convite

é ali que vem: o medo. espreita, no escuro do abismo do peito. é ali que mora o medo: no perigo do desconhecido. ao mesmo tempo convida: se atira, vem! todas as horas serão tardias. não tem mais espaço pro medo num peito cansado. se atira no abismo, vem! do chão do fundo do abismo escuro não passa. antes de morrer, sara. ou não sara nunca. se atira, sem pestanejar, vem! no escuro do abismo do peito, lá no fundo, lá no chão do fundo do poço do abismo do escuro do vazio, grita um convite: vem!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s